Pilates Pós Parto:recuperar os Abdominais e o Soalho Pélvico


A Maternidade é uma experiência única na vida de uma Mulher.

Durante 9 meses, o Corpo feminino passa por uma impressionante mudança física, mental, emocional e energética. 

O Parto é o momento auge dessa experiência maravilhosa e poucas palavras conseguem descrever o que é de facto dar à luz um ser humano e recebê-lo nos braços.

A Mulher, como fêmea humana, está perfeitamente capaz de dar à luz de forma natural, pois é assim há 4 milhões de anos, desde que optou pela posição bípede. No entanto, é sempre uma experiência corporal intensa que provoca uma distensão grande no perímetro abdominal, nas ancas e no soalho pélvico.

Quando e que exercícios pode então a Mulher fazer após o Parto?

Antes de tudo é importante o aconselhamento de um profissional de saúde e de exercício físico para que, com toda a segurança, possa, à medida de cada caso, fazer o melhor plano de treino para a recém mamã.

Há vários factores a considerar no planeamento do treino:

1 - o Tipo de Parto

- Parto por Cesariana:

É uma cirurgia e como tal a musculatura abdominal é sujeita a corte e a uma cicatriz para o resto da vida; a recuperação física é a mais lenta de todos os partos pelo cuidado a ter na cicatrização, e porque qualquer corte feito ao nível da estrutura pélvica  anterior vai comprometer a biomecânica posterior, nomeadamente a coluna lombo-sagrada.

É, pois, fundamental um programa de reabilitação da estrutura abdominal e pélvica, não só no fortalecimento muscular mas no realinhamento articular, para evitar complicações futuras, como dor ciática ou hérnias discais.

Programa de treino: pilates pós parto a partir das 8 semanas do bébé.

Aqui na foto abaixo, o Reformer é utilizado para iniciar o programa básico de Pilates Pós Parto, em casos de cesariana, com exercícios de estabilização pélvica, respiração abdominal e reforço do transverso abdominal

- Parto Natural ou Eutócico:

É o processo natural vaginal sem intervenção médica específica, como anestesia ou episiotomia: não há cortes invasivos, hormonas sintéticas ( oxitocina) ou catéteres com outras substâncias químicas.

No parto natural, pode ou não acontecer a laceração do períneo, embora dependa muito da posição da Mulher na fase da expulsão. Por norma, a recuperação física neste parto é natural, rápida, em que a mãe tem uma postura activa perante o seu corpo.

Se tudo correr bem e se não houver contra indicações médicas, a recém mamã poderá começar ao fim de 15 dias com caminhadas leves, alongamentos e simples movimentos corporais e, ao fim de 4 semanas, está apta a iniciar aulas regulares de pós parto acompanhadas, dependendo sempre dos horários irregulares das mamadas do bébé e do seu nível de energia geral, que poderá ainda ser muito baixo.

- Parto Distócico

É o parto vaginal com intervenção médica específica e com instrumentos, como forceps, ventosas, anestesia epidural, hormonas sintéticas de reforço, entre outros.

A episiotomia de rotina (o corte do períneo para ajudar na expulsão)  ainda é actualmente um processo protocolar em quase todos os hospitais em Portugal e que pode provocar durante muito tempo algum incómodo na região urogenital e mesmo alterar a mecânica de toda a estrutura pélvica. É muito comum nas aulas de Pilates Pós Parto, encontrar disfunções musculares e articulares devido à cicatriz que é feita numa das áreas musculares mais importantes do Soalho Pélvico.

O tempo de recuperação para iniciar os treinos da ginástica pós parto é de 4 a 6 semanas, dependendo da capacidade de cicatrização do períneo e de outras áreas resultantes da intervenção da anestesia epidural.

2- A Diástase do Recto abdominal

Durante a gravidez, a pressão do bebé e das hormonas faz com que a linha que separa os rectos abdominais aumente cerca de 10cm até ao parto

Mesmo com a prevenção de um programa de treino de Pré Pilates, que ensina sobretudo o reforço e estabilidade dos músculos do abdómen, a separação dos rectos é quase inevitável, porque as hormonas da relaxina e oxitocina são variáveis muito fortes com que a Mãe Natureza nos dotou para que o aumento do volume abdominal seja natural e dê espaço ao bebé.

Assim sendo, após o parto este facto deve ser considerado e avaliado por um profissional, na medida em que, dependendo da extensão da diástase, alguns exercícios deverão ser evitados e outros reforçados.

Por regra, os tradicionais "Crunches", ou flexão do tronco com a cabeça elevada são de evitar até que a distância dos rectos seja inferior a 2 dedos.

Em substituição, há uma variedade enorme de exercícios em que se poderá trabalhar a estabilização e reforço abdominal, sem comprometer este factor ( na foto em baixo, um exemplo de um trabalho abdominal e pélvico na Wunda Chair de Pilates)

3- O Nível de Energia da Mulher

A experiência do Parto é única, mesmo na mesma mulher quando tem mais filhos. A recuperação da energia vital e da disposição física, mental e emocional pode demorar meses e pode interferir com o plano de treino escolhido. 

Nestes casos de treino pós parto, mais do que seguir métodos rígidos e protocolares, o mais importante é que se escute o corpo da recém mãe durante o programa de exercícios e ir adaptando de acordo com o grau de energia de um ou de outro momento.

É muito importante sublinhar que as rotinas de um bebé podem ser extremamente esgotantes, entre noites em dormir e amamentação exclusiva e, muitas vezes, a recém mãe poderá querer um programa de treino de relaxamento ou descompressão física e emocional.

( na foto abaixo, um exemplo de um trabalho de restituição de energia)

Seja qual for a opção de trabalho físico, é importante que a Recém Mamã se sinta apoiada, por profissionais certificados, para começar a seu ritmo e tempo certos a cuidar de si, pois a sua saúde física, mental emocional e energética é fundamental para o bebé e a relação com a sua progenitora.

Marta Conceição, mãe de 3 rapazes, co -proprietária do The Element Pilates Studio,  professora de Pilates e especializada em Pré e Pós Parto; desenvolve programas de treino em Consciência Pélvica e Saúde Feminina Integral


43 views
  • Twitter Clean
  • w-facebook