Mulher. Ciclos. Curvas. Emoções


Nós Mulheres somos cíclicas.

Temos um ciclo menstrual semelhante ao ciclo mensal da Lua e temos um ciclo de vida em que sentimos as estações do Corpo a transmutarem-se entre si.

Somos a fresca Primavera e somos o escuro Inverno e em várias alturas do nosso percurso, sentimos a alternância das estações dentro de nós.

Sempre foi assim.

As Mulheres antigas sabiam, melhor do que nós, esta ligação profunda que os nossos corpos femininos têm com os ritmos da Terra e da Lua.

Elas sabiam ligar os ciclos dos corpos aos ciclos da lua e das estações e compreendiam que há momentos de pausa e recolhimento e que há outros em que estamos mais disponíveis para os outros, para o prazer e para o movimento.

As Mulheres Ancestrais sabiam disto e não julgavam os seus corpos quando estes começavam a pintar-se de rugas e cabelos brancos.

Sabiam que o Outono da Vida trazia sabedoria de um longo caminho já percorrido e que as mulheres mais velhas sabiam curar, nutrir e aconchegar todos os elementos da tribo, porque eram Sábias.

As Mulheres da Terra alinhavam-se pelos grandes Mistérios do Cosmos e da Vida, pelas linhas circulares do tempo e do espaço, pelos sonhos, pela intuição, pela sabedoria dos corpos e do espírito, pelas ligações ao etéreo e ao imaginário, mas também ao seu sangue, às suas rugas e aos seus corações.

As Mulheres ligavam-se entre si, um clã indivisível, poderoso e único, cantando em círculo durante a Lua Cheia ou chorando abraçadas a passagem de um corpo para a Morte.

Sabiam que o Corpo é sábio quando está a dar à luz um bebé, sabiam que se pode agachar, gemer, grunhir, gritar, porque sabem que tem o conhecimento deste Grande Mistério da Vida.

As Mulheres Antigas sabiam que o Amor era o alimento da união e que a Morte fazia parte da grande Roda da Vida.

As Mulheres de Agora continuam cíclicas. Não são lineares.

Mas, fizeram-nos acreditar que caminhamos sempre em linha recta.

Fomos ensinadas a idealizar projectos de vida infalíveis, como um bom casamento ou uma carreira sempre em ascensão com resultados excelentes.

Os Media dizem para termos corpos e mentes eternamente jovens, felizes e fortes.

Dizem-nos para escondermos o nosso sangue com pílulas e tampões para que não incomode, não nos suje, já que não serve para nada, excepto dor e desconforto todos os meses.

Dizem que temos que esticar a pele e ficar sem rugas para parecermos jovens eternas, pintar os fios brancos no cabelo, pôr mamas postiças e barriga sempre apertada.

Dizem para sermos profissionais competitivas sem direito a falhas, a sermos amantes indomáveis e mães exímias.

Não nos perdoam as dores de cabeça, os maus humores e a vontade de simplesmente estar de braços cruzados a olhar pela janela.

Não nos ensinaram a sentir.

Só a pensar que temos que ser Forte, Felizes e Jovens. Sempre. Tal como nos filmes.

Os nossos corpos são os mesmos das Mulheres Antigas.

A Lua é a mesma e as Estações passam e repassam da mesma forma, há milhões de anos.

Os nossos corpos sentem, mas não pensam nisso. Não estão autorizados.

Não estão autorizados por nós, apenas, porque estamos esquecidas...

Marta Conceição, The Element Studio


43 views
  • Twitter Clean
  • w-facebook